O Programa

Quem somos

O PotencializEE – Programa Investimentos Transformadores de Eficiência Energética na Indústria – tem o intuito de promover Eficiência Energética em PMEs (Pequenas e Médias Empresas) industriais. A implementação tem foco na região de São Paulo, considerando a maior concentração de indústrias e os altos índices de consumo de energia, e contará com estratégias a fim de alavancar os potenciais de Eficiência Energética na Indústria em nível nacional. 

O PotencializEE é um Programa de Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, liderado pelo MME (Ministério de Minas e Energia) e coordenado por meio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit), Agência Alemã de Cooperação Internacional. O PotencializEE conta com recursos do Ministério Alemão do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha e da União Europeia. A iniciativa é uma contribuição das duas instituições para a NAMA Facility, um mecanismo de financiamento que tem como objetivo ajudar países em desenvolvimento e economias emergentes em seus esforços em direção à redução de emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa), contribuindo para o combate às mudanças climáticas.

Contexto

A indústria brasileira responde por mais de 30% do consumo final de energia, quase 40% da eletricidade consumida e 9% das emissões de gases de efeito estufa (GEE) do país. As indústrias brasileiras têm consumido cada vez mais energia, tendo um potencial enorme de Eficiência Energética e de mitigação das emissões de GEE, especialmente entre as pequenas e médias empresas industriais.  

Desencadear os investimentos de Eficiência Energética dentro da indústria é essencial para a descarbonização da economia brasileira e o crescimento sustentável do país. 

As reduções nas emissões de GEE esperadas no âmbito do Programa contribuirão para o alcance da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do Brasil, estabelecida no âmbito do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas que tem como meta manter o aumento da temperatura média global em bem menos de 2°C, de preferência 1,5°C, em comparação aos níveis pré-industriais. Além disso, as vantagens sociais e ambientais relacionadas a investimentos em Eficiência Energética incluem diminuição local da poluição do ar, menor consumo de energia, água e outros recursos, além de geração de empregos, maior competitividade econômica, redução da pobreza, segurança energética e inovação. 

Componentes do Programa

Para alcançar os objetivos esperados, o PotencializEE está estruturado sob quatro pilares principais: políticas públicas e aumento de escala, desenvolvimento de projetos de Eficiência Energética, mitigação de riscos técnicos e financeiros e, finalmente, financiamento público e privado.

Progresso do Programa

Acompanhe as principais atividades, metas a serem atingidas e status de cada uma.

Indicador Meta
Apoio à implementação de projetos 425 projetos
Avaliação de projetos com critérios técnicos e econômicos +1.000 avaliações
Certificação de consultores 100 (ao menos 30 mulheres)
Conscientização de PMEs por meio de ações de comunicação e eventos 5260 indústrias conscientizadas
Desenvolvimento de catálogo de tecnologias 15 categorias
Mentoria para mulheres consultoras 20 mulheres
Mobilização de financiamento R$ 490 milhões
Operação do Fundo Garantidor para facilitar acesso a créditos 425 PMEs
Realização de diagnósticos energéticos subsidiados +1.000 diagnósticos energéticos
Redução de emissões de gases de efeito estufa 1,1 milhões de toneladas de CO₂ equivalente
Redução no consumo de energia 7,267 GWh
Treinamento para gestores de bancos 90 gestores

Parceiros de setores estratégicos trabalhando juntos para fazer a Eficiência Energética na indústria acontecer. O PotencializEE é a soma de muitas forças.

Parceiros

O Programa engloba parceiros estratégicos ligados aos setores de energia, indústria e financeiro. No nível federal, são parceiros o MME (Ministério das Minas e Energia), ME (Ministério da Economia) e EPE (Empresa de Pesquisa Energética).

No setor da indústria e energia, participam do Programa o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) com apoio da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e a ABESCO (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia).

Entre os parceiros financeiros estão: Desenvolve SP (instituição financeira do Estado de São Paulo), BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), ABDE (Associação Brasileira de Desenvolvimento) e a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos).

Apoio: