Notícias

  • Notícias do Programa
  • PotencializEE na Mídia

Ao se tornar 4.0, a indústria avança no sentido do consumo energético eficiente

Compartilhe:
Em 3 de janeiro de 2022, às 10:04
Fonte: Royalty Free Photo – Rawpixel

Nos anos recentes  tem acontecido um aumento no número de indústrias brasileiras que vem passando por processos de digitalização. Trata-se do estágio inicial da Indústria 4.0, também chamada de Quarta Revolução Industrial, que se refere à automatização dos processos industriais. São utilizados sensores, software e outras tecnologias com o objetivo de conectar e trocar dados com outros dispositivos e sistemas pela internet (Internet das Coisas – IoT) a fim de aumentar o nível de produtividade do trabalho.

O uso de tecnologias digitais pelas empresas brasileiras apresentou um aumento de 63% para 73%, segundo uma pesquisa realizada pelo CNI (Conselho Nacional de Indústrias). “Automação digital com sensores de controle de processos” e os “sistemas de engenharia de produtos manufaturados” se mantém como as tecnologias mais frequentemente usadas, sendo que, no primeiro caso, o percentual de empresas que utilizam essa tecnologia aumentou de 40% para 46% e, no segundo caso, aumentou de 27% para 37% entre os anos de 2016 a 2018.

O conceito de  eficiência energética está diretamente relacionado à digitalização das indústrias uma vez que seus objetivos estão intrinsecamente ligados à transformação da produção com aumento da economia de energia e diminuição do uso de recursos naturais. A estimativa anual de redução de custos gerais da indústria brasileira com adevido a atualização de tecnologias mais modernas é de, aproximadamente, R$ 73 bilhões por ano, segundo a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial). Do total, R$ 34 bilhões estão relacionados à redução de custos de manutenção de máquinas e R$ 7 bilhões estão ligados à redução do consumo de energia. Conforme a energia se torna cada vez mais digital, também se tornando mais descentralizada com a energia proveniente de sistemas solares fotovoltaicos locais, as empresas industriais aumentarão significantemente sua capacidade de controlar e gerenciar o uso de energia de forma significativa. Isto ajudará as indústrias a garantir sua participação no mercado e a crescer de forma mais sustentável.

Tecnologias como contadores inteligentes de energia, monitoramento acústico de vazamentos de vapor, monitoramento das condições das bombas, termostatos inteligentes para sistemas de aquecimento e resfriamento automático e controle automático de iluminação, todos conectados  a sistemas analíticos, proporcionam um retorno de investimento menos de seis meses. Os dados coletados e analisados em tempo real através de aplicações de software podem ser usados para manutenção corretiva, evitar longos períodos de desperdício de energia por equipamentos defeituosos ou envelhecidos e para desenvolver estratégias de conservação de energia como parte de planos de negócios a longo prazo. Por exemplo, a Daimler na Alemanha relatou 30% de melhorias em eficiência energética em seus sistemas robôs que usam técnica da Indústria 4.0. Outro exemplo é a Canadian Forest Products, que relatou uma redução de 15% no consumo de energia ao utilizar alertas em tempo real sobre o consumo de energia fora das normas previstas. Além da economia de energia, níveis de produtividade elevados, tempo de inatividade reduzido e melhorias na qualidade do produto produzido podem resultar de investimentos na combinação de digitalização e tecnologias inteligentes.

A questão é, muitas vezes, por onde começar. Conduzir um diagnóstico energético de acordo com as normas internacionais como a ISO 50002, com o apoio de um especialista qualificado neste campo que trabalhará junto com os gerentes de plantas industriais, fornecerá os dados básicos necessários relacionados ao consumo de energia de todos os processos de produção e usos finais de energia. Baseado nisso, o diagnóstico energético identifica os potenciais de economia de energia e um roteiro para ações futuras apropriadas necessárias para obter controle sobre o próprio consume de energia através de medidas de digitalização e tecnologias  inteligentes. Os resultados do diagnóstico energético serão colocados sob medida às necessidades específicas da empresa e incluirão um plano de investimento para que a empresa possa tomar decisões estratégicas sobre o caminho a seguir.

Fonte: CNI, SENAI, ABDI

Últimas notícias