Notícias

  • Notícias do Programa
  • PotencializEE na Mídia

Guia Múltiplos Benefícios de Eficiência Energética na Indústria aponta as vantagens que PMEs podem obter ao adotar medidas neste sentido

Compartilhe:
Em 24 de março de 2022, às 12:23

A adoção de medidas de  eficiência energética é a recomendação mais adequada para empresas que desejam cortar custos com energia Porém, muitas vezes, por desconhecimento, as instituições acabam  não considerando essa possibilidade e deixam de usufruir de benefícios que afetariam toda sua estrutura (não só a área financeira). Com intuito de trazer informações completas sobre o tema, o programa PotencializEE  está lançando o  “Guia Múltiplos Benefícios de Eficiência Energética na Indústria”.

Os ganhos obtidos com a adoção de práticas de eficiência energética estão no âmbito das melhorias de desempenho corporativo, do gerenciamento socioambiental, da saúde e segurança de seus funcionários, da inovação em pesquisa e desenvolvimento e até da motivação e satisfação dos colaboradores. “O Guia visa justamente apoiar a identificação e a quantificação destes múltiplos benefícios. Afinal, como os projetos de eficiência energética têm uma importância que vai muito além de economia de energia, o  ponto de vista estratégico acaba sendo o principal motivador na tomada de decisão”, afirmou Marco Schiewe, diretor do Programa PotencializEE.

O Guia faz parte das atividades do PotencializEE – Investimentos Transformadores em Eficiência Energética, o Programa de Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, liderado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e coordenado por meio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit), Agência Alemã de Cooperação Internacional. Nos próximos dois anos, o PotencializEE deverá realizar 1.000 diagnósticos, concluirá 425 projetos de eficiência energética e empreenderá ações de conscientização em 5.260 pequenas e médias indústrias do estado de São Paulo.

Melhorias multiplicadas

De acordo com o Guia PotencializEE, existe um risco ao se avaliar apenas o benefício financeiro de um investimento em eficiência energética em termos de economia de energia. Porque pode-se, assim, negligenciar outros benefícios fundamentais para o processo de investimentos. “A falta de informação sobre benefícios pode levar à perda de oportunidades efetivas em termos de custo”. De acordo com a tabela dos múltiplos benefícios obtidos com a adoção de medidas de eficiência energética- classificados pela International Energy Agency (IEA) – existem alguns não relacionados à economia que são mensuráveis, como ganhos de produtividade, com operação e manutenção, benefícios ao meio ambiente e competitividade.

Confira alguns exemplos dos ganhos obtidos em cada uma destas categorias:

  • Produtividade – Melhoria na capacidade produtiva: substituição de máquinas e equipamentos por outros de maior eficiência, o que reduz os tempos de processamento, de custos de mão de obra e dos materiais, além de aumentar o fluxo de produção. Redução no número de defeitos, em decorrência do uso de máquinas e equipamentos mais modernos. A consequência da melhoria dos processos é a melhoria no valor do produto. Isto contribui para o aumento do valor agregado e para a melhor avaliação da marca.
  • Operação e Manutenção – O uso de equipamentos mais modernos e eficientes melhora significativamente a operação e confiabilidade, aumenta a vida útil das máquinas e reduz o tempo de inatividade e o número de falhas. Redução de custos indiretos pela diminuição da necessidade de manutenção corretiva, operação manual e monitoramento. Máquinas mais modernas têm menor necessidade de refrigeração e sofrem menos desgastes. Adoção de um plano estruturado de manutenção preventiva e de monitoramento do consumo de energia para gerenciamento das operações e maior controle dos custos.
  • Benefícios ao meio ambiente – Redução da emissão de poluentes a partir da melhoria nos processos fabris. Diminuição de resíduos sólidos e líquidos nocivos ao meio ambiente. Redução no desperdício de água, com a otimização e o aprimoramento de processos produtivos e com o uso mais racional deste recurso. O tratamento da água antes do descarte também gera ganhos financeiros. E redução do uso de matéria prima. Além do benefício econômico, o impacto ambiental é mitigado, uma vez que o processo de extração de matéria prima gera consequências à natureza.
  • Competitividade – Redução nos custos de produção e consequente diversificação dos investimentos, abrindo novas oportunidades de crescimento. A redução da pegada de carbono obtida pela otimização dos processos industriais, ocasiona novas certificações e oferece a oportunidade de a empresa superar barreiras e entrar em novos mercados. Redução de riscos corporativos como aumento dos custos, ameaças regulatórias e acidentes de trabalho. Melhoria na imagem e na reputação do negócio ao divulgar ações de eficiência energética e sustentabilidade, o que é positivo em termos de marketing e a partir da qualidade dos produtos que oferece.

Roteiro detalhado

O Guia PotencializEE também ressalta que todas estas medidas afetam positivamente o ambiente de trabalho, ao elevarem a segurança e aumentarem a satisfação dos colaboradores. E este movimento leva ao aumento de produtividade da empresa. Mas, para apurar os ganhos muito além dos econômicos, o Guia dá como exemplo uma matriz de classificação de facilidade de quantificação dos benefícios e do horizonte temporal necessário para obtê-los.

Em resumo, o Guia oferecido pelo Programa PotencializEE é quase um manual de como uma pequena ou média indústria pode manter uma vantagem competitiva sustentável a partir da adoção de uma operação voltada para a prática da eficiência energética.

“O Guia PotencializEE vem a ser é um roteiro completo para uma pequena e média indústria planejar seus passos na direção de uma operação mais eficiente, produtiva e sustentável.” Para baixar o Guia Múltiplos Benefícios de Eficiência Energética na Indústria EE, clique aqui

Fonte: Programa PotencializEE

Últimas notícias