Notícias

  • Notícias do Programa
  • PotencializEE na Mídia

Mais igualdade e oportunidades para mulheres engenheiras

Compartilhe:
Em 11 de março de 2022, às 11:42

PontecializEE busca reduzir disparidades de gênero no mercado de Eficiência Energética

Fonte: ThisisEngineering RAEng/ Unplash

O Programa PotencializEE Investimentos Transformadores em Eficiência Energética na Indústria, uma Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, liderada pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e coordenada pela Agência Alemã de Cooperação Internacional Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) – está lançando um projeto voltado para apoar o desenvolvimento de mulheres profissionais que atuam na área de Eficiência Energética, com intuito de reduzir  a disparidade existente entre os gêneros neste setor.

A iniciativa “Mentoria para Mulheres da Eficiência Energética” tem como objetivo orientar e dar suporte às profissionais, de modo a incentivá-las a consolidar suas carreiras neste ambiente de trabalho, historicamente masculino. “Nossa ideia é valorizar as mulheres na área de Eficiência Energética e fortalecer sua atuação através da realização de diagnósticos energéticos  em pequenas e médias indústrias do estado de São Paulo”, ressalta o diretor do PotencializEE, Marco Schiewe, que espera atrair cada vez mais mulheres especializadas no emprego de ténicas e tecnologias sustentáveis para o segmento.

 Capacitação e desenvolvimento de carreira

A mentoria terá duração de três meses, será dividida em três módulos. O primeiro será dedicado ao desenvolvimento pessoal, através do qual serão trabalhados temas como comunicação assertiva, linguagem inclusiva, inteligência emocional e questões de comportamento. O segundo módulo abordará o desenvolvimento profissional com foco em direitos trabalhistas, o desafio da dupla jornada enfrentada pelas mulheres e as barreiras e oportunidades no setor de Eficiência Energética para o público feminino.

Por fim, serão trabalhadas questões de auto liderança, empoderamento e comunidade de apoio no módulo de desenvolvimento de liderança.  “Nossos objetivos são apoiar e aumentar a participação das mulheres nesse setor e fortalecer as trocas entre elas, através do estabelecimento de uma rede que se perpetuará após a conclusão da mentoria. Afinal, além das competências técnicas, as participantes também precisam de soft skills e planejamento estratégico de carreira, incentivadas através da mentoria”, explica Schiewe. O diretor do PontencializEE informa que a iniciativa contará também com a participação de convidadas com experiências expressivas no setor de energia.

Segundo o último Censo de Educação Superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, apenas 37,3% dos formandos em cursos de graduação de engenharia, produção e construção são do gênero feminino. Já ao analisar os dados ao longo de quatro décadas, apenas 4% do total de profissionais da engenharia no Brasil eram mulheres. Ao mesmo tempo, o Censo aponta que as mulheres já chegam atualmente a ser maioria em cursos como engenharia de alimentos (62%) e bioprocessos/biotecnologia (59,4%). 

No mercado de trabalho, a desvantagem continua. Pesquisa sobre o Panorama da Indústria de Transformação Brasileira, elaborada pela Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), edição de 2019, mostrou que o setor é responsável por 22.786 empregos formais. Desse total, as mulheres ocupam apenas 27,83% das vagas. Elas ocupam 35% dos empregos formais no setor de alimentos, 26% na indústria química e 45% na farmacêutica.

Os dados endossam, portanto, a importância de iniciativas como a do PontecializEE. A mentoria exclusiva para mulheres proposta pelo Programa será realizada de forma complementar à especialização em eficiência energética gratuita oferecida em parceria com o SENAI São Paulo, entre janeiro e fevereiro de 2022. Voltada para profissionais com curso superior completo na área de Energia ou pós-graduação em Eficiência Energética, de ambos os gêneros, a capacitação ofereceu 150 vagas e teve aulas em formato EAD (Educação a Distância), possibilitando a participação de residentes em outros estados. Para as mulheres, além da capacitação técnica e da possibilidade de contratação no modeo CLT, haverá ainda o módulo adicional, que começa em maio de 2022.

“Precisamos juntar forças – as instituições, o governo, o setor privado e o setor da Educação – para, nos próximos anos, enfrentar o desafio que os Objetivos do Desenvolvimento da ONU nos trazem, que é o de triplicar o número de profissionais na área de Eficiência Energética até 2030 e abrir oportunidades para as mulheres nesse setor tão promissor. Não pode ser uma ação isolada de uma organização internacional como a GIZ ou apenas da Indústria”, finaliza o diretor do PotencializEE, Marco Schiewe.

Fonte: Programa PotencializEE

Últimas notícias