Notícias

  • Notícias do Programa
  • PotencializEE na Mídia

PotencializEE e BNDES capacitam bancos para operar financiamentos de projetos de eficiência energética para PMEs 

Compartilhe:
Em 14 de abril de 2022, às 10:06
Fonte: Unplash.

O programa PotencializEE e o BNDES realizarão, a partir de maio, ações de capacitação para instituições bancárias operarem financiamentos de projetos de eficiência energética. Os participantes da iniciativa serão preparados para oferecer crédito acessível às micro, pequenas e médias empresas que queiram investir em projetos deste tipo para reduzir o consumo de energia e, consequentemente, a emissão de carbono.  

Os esforços de capacitação vêm na sequência de uma sensibilização sobre o tema realizada, em março, pelo PotencializEE e BNDES. A iniciativa teve a participação de mais de 150 profissionais de 26 instituições financeiras de todo o Brasil, incluindo bancos comerciais privados e públicos, bancos de desenvolvimento, agências de fomento e cooperativas de créditos. 

Sensibilização 

A sensibilização foi dividida em duas partes. Na primeira, foi feita uma introdução ao tema da EE, enfatizando potencial de mercado, riscos e retorno financeiros de projetos típicos, bem como os instrumentos de crédito existentes, com destaque para os do próprio PotencializEE e do Programa de Garantia de Crédito para Eficiência Energética – FGEnergia. Na segunda, mais aprofundada, foram apontados indicadores técnicos, econômico-financeiros, tecnologias existentes, itens financiáveis e impacto em redução de emissões. 

As sessões de sensibilização auxiliaram na identificação das principais necessidades e dúvidas a serem incluídas no conteúdo de capacitação dos bancos, que contará com os módulos de Produto e Crédito e Risco. Para cada módulo serão abordados diferentes temas que poderão ser escolhidos pelos participantes conforme aplicação em sua área de atuação dentro da Instituição Financeira.  

Dados da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) mostram que o país perdeu R$ 52 bilhões nos últimos dois anos com desperdício de energia. Os números indicam ainda que a indústria gasta anualmente R$ 5 bilhões e R$ 16 bilhões, respectivamente, com eletricidade e combustíveis. 

Diante dessa realidade, o projeto pretende introduzir o setor financeiro nas discussões sobre eficiência energética. “Uma das principais questões é o entendimento do potencial de retorno tanto do ponto de vista do cliente, quanto pela instituição financeira”, explica Luiz Lubi, Assessor Técnico do Programa PotencializEE.  

A estimativa é que um terço da energia utilizada hoje poderia ser economizada, principalmente pelas PMEs. E é aí que os programas PotencializEE e FGEnergia entram para viabilizar o acesso para financiamento de novos projetos de eficiência energética, minimizando os gargalos que existem atualmente. Para isso, estão sendo criados dois fundos garantidores que têm como objetivo reduzir as exigências por parte dos bancos para liberação de crédito, facilitando o acesso ao capital e permitindo a implementação efetiva de projetos de EE nas MPMES participantes.  

 Dois fundos garantidores para facilitar acesso ao crédito  

Para os projetos das empresas cadastradas no PotencializEE, será disponibilizado um Fundo Garantidor de Crédito no valor de 8 milhões de euros que será gerido Desenvolve-SP – instituição financeira do governo do Estado de São Paulo focada no desenvolvimento sustentável da economia paulista. O fundo garantirá até 90% dos financiamentos do Desenvolve SP e de outras Instituições Financeiras credenciadas no Programa. O valor do financiamento por empresa poderá ser de até R$ 30 milhões com prazos de até 120 meses. O Programa prevê a realização de um montante de mais de R$ 350 milhões em financiamentos, gerando investimento da ordem de R$ 440 milhões. 

O PotencializEE prevê a mitigação de aproximadamente 1,1 milhões de toneladas de CO2, para estimular o alcance da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do Brasil, estabelecida no âmbito do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas que tem como meta manter o aumento da temperatura média global em bem menos de 2°C, de preferência 1,5°C.  

A iniciativa do BNDES na criação do Fundo Garantidor  FGEnergia – (Fundo Garantidor para Eficiência Energética) também tem sido apoiada pelo PotencializEE. O FGEnergia terá cobertura para todos os setores e para todas as regiões do Brasil. O fundo cobrirá até 80% do valor do financiamento, com tickets mínimos de R$ 50 mil reais até R$ 3 milhões por empresa, com prazos que variam de 12 a 84 meses, tendo até 24 meses de carência. Os recursos serão liberados por agentes financeiros credenciados no BNDES que tenham Carteira de Créditos (Bacen) com limite superior a R$ 500 milhões e que atendam os demais critérios disponíveis no regulamento do fundo.  

O BNDES prioriza o tema da Eficiência Energética, de forma alinhada com o Plano Decenal de Expansão de Energia – PDE e com os compromissos assumidos nas Contribuições Nacionalmente Determinadas – NDC. Em seu planejamento estratégico, o Programa FGEnergia relaciona-se com quatro das suas missões estratégicas: 1) promover a transição para uma economia neutra em carbono (Missão Ambiental); 2) apoiar a manutenção e geração de empregos (Missão Micro Pequenas e Médias Empresas); 3) apoiar o aumento da produtividade, da competitividade (Missão Estrutura Produtiva), 4) diversificar produtos e instrumentos financeiros (orientação estratégica relacionada a gestão de ativos e passivos).¹ Além disso, o planejamento do BNDES se relaciona com a agenda internacional dos Objetivos do Desenvolvimento da ONU, nos seguintes objetivos: Energia Limpa e Acessível (ODS7), Trabalho Decente e Crescimento Econômico (ODS 8), Indústria, Inovação e Infraestrutura (ODS 9), Cidades e Comunidades Sustentáveis (ODS 11), Consumo e Produção Sustentáveis (ODS 12), Ação Contra Mudança do Clima (ODS 13). 

1 Veja: https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/quem-somos/planejamento-estrategico/missoes-de-longo-prazo-do-bndes 

Fonte: Programa PotencializEE

Últimas notícias